Tertecman

Ponte Rolante Pontes Rolantes Manutencao de Ponte Rolante



Ponte Rolante Pontes Rolantes Manutencao de Ponte Rolante



Ponte Rolante Pontes Rolantes Manutencao de Ponte Rolante



Ponte Rolante Pontes Rolantes Manutencao de Ponte Rolante



Notícias

RSS Feed - Notícias - Mantenha-se Informado


16/01 - Ministra da Agricultura anuncia deputado Valdir Colatto como novo chefe do Serviço Florestal
Integrante da bancada ruralista, Colatto não se reelegeu e já fez discursos críticos ao percentual de terra que deve ser preservado por fazendeiros. O deputado Valdir Colatto (MSB-SC), novo chefe do Serviço Florestal Brasileiro Vinicius Loures/Câmara dos Deputados A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, anunciou nesta quarta-feira (16) em uma rede social que o deputado Valdir Colatto (MDB-SC) será o novo chefe do Serviço Florestal Brasileiro. Integrante da Frente Parlamentar Agropecuária do Congresso, conhecida como a bancada ruralista, Colatto não se reelegeu em outubro e já fez discursos críticos ao percentual de terra que deve ser preservado por fazendeiros. "Hoje conversei com servidores do Serviço Florestal Brasileiro para responder algumas perguntas em relação a competências e carreiras. O serviço florestal será comandado pelo deputado Valdir Colatto e o decreto já foi publicado", publicou a ministra. Criado em 2006, o Serviço Florestal Brasileiro era vinculado ao Ministério do Meio Ambiente, mas desde 1º de janeiro, quando o presidente Jair Bolsonaro editou uma medida provisória (MP) para reestruturar o governo, o serviço passou a ser vinculado à pasta da Agricultura. De acordo com o site do órgão, cabe ao SFB "promover o conhecimento, o uso sustentável e a ampliação da cobertura florestal, tornando a agenda florestal estratégica para a economia do país". Discursos Em 7 de fevereiro do ano passado, Colatto fez um discurso no qual criticou o percentual de preservação de terra nas fazendas. "No Brasil, 20,5% da área das propriedades são de florestas. O agricultor paga essa conta sem que haja nenhum dividendo com a cidade. Quem é que deixa 20%, 35% ou 40% da sua propriedade, na área urbana, para a preservação do meio ambiente? Só a agricultura brasileira faz isso", afirmou o deputado na ocasião. Em outro discurso, em 11 de dezembro do ano passado, o novo chefe do Serviço Florestal Brasileiro disse que "66% das florestas no Brasil não são nada". Afirmou, ainda, que o Brasil precisa "refletir" sobre as atuais regras de preservação. "Nós temos que pensar que 66% das florestas no Brasil não são nada se compararmos com as da Europa, que não chegam a ter meio por cento de floresta. E eles ainda querem dizer o que devemos fazer aqui? Ora, se quiserem que mantenhamos nossas florestas, que nos paguem com serviços ambientais, como fazem os Estados Unidos e a Europa, onde quem preserva a floresta recebe por isso", declarou.
Veja Mais

16/01 - Governador de MT diz que vai decretar estado de calamidade financeira nesta quinta-feira
Mauro Mendes deu a informação após se reunir em Brasília com o ministro da Economia, Paulo Guedes. De acordo com o governador, assembleia de MT precisa aprovar medida. Mauro Mendes, governador de Mato Grosso Governo de MT/ Assessoria O governador de Mato Grosso, Mauro Mendes, afirmou nesta quarta-feira (16) que vai decretar estado de calamidade financeira nesta quinta (17). O estado enfrenta uma crise financeira, e Mendes se reuniu nesta quarta em Brasília com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para discutir a situação do estado. "Mato Grosso é um estado que tem grande potencial, mas agoniza pelo excesso de despesa, pelo crescimento da folha e por repasses que o Executivo não consegue mais suportar. Amanhã [quinta, 17], nós estaremos definitivamente decretando estado de calamidade financeira", afirmou o governador. De acordo com a Lei 101/2000, que dispõe sobre a responsabilidade fiscal da União, dos estados e dos municípios, a unidade da federação que decreta calamidade fica dispensada, por exemplo, de atingir os resultados fiscais previstos. Servidores de MT entram em greve Agentes penitenciários entram em greve Governador exonera 580 e contrata 174 De acordo com Mauro Mendes, a Assembleia Legislativa do Mato Grosso precisa aprovar o decreto de calamidade financeira. "Embora a economia privada vá bem, o governo vai muito mal, não honra com suas despesas básicas na saúde, na segurança, colocando em risco colapsar serviços essenciais para a vida do cidadão", acrescentou. Estado 'agoniza' Segundo Mauro Mendes, o déficit da Previdência estadual, o aumento "irresponsável" de gastos em gestões anteriores e a alta das despesas do Executivo com pessoal são os principais motivos para Mato Grosso "agonizar" no momento. O governador afirmou que os principais reflexos são falta de investimentos em saúde e em educação, além do atraso no pagamento dos salários dos servidores e no 13º salário. "Se temos um câncer, não podemos continuar tomando remédio para dor", afirmou o governador, ao explicar o motivo de o estado decretar calamidade.
Veja Mais

16/01 - Explosão na Replan: após cinco meses, ANP dá aval para refinaria retomar 100% da produção
Agência liberou uso de unidade de destilação pela Replan, em Paulínia, nesta quarta-feira (16). Petrobras prevê alcançar capacidade plena de processamento do petróleo até fim de janeiro. ANP desinterditou unidade de destilação na Replan, nesta quarta-feira Reprodução/EPTV A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) confirmou na noite desta quarta-feira (16) que concedeu aval para a Replan, em Paulínia (SP), retomar 100% da capacidade de processamento de petróleo após a desinterdição de uma unidade de destilação. A estrutura da maior refinaria do país foi danificada pela explosão seguida de incêndio em 20 de agosto de 2018. Em nota, a agência informou que uma unidade de tratamento de águas ácidas da estrutura não foi liberada para uso, mas isso não interfere na capacidade dela porque há outras unidades que suprem essa finalidade. A Petrobras não divulgou os prejuízos provocados pelo incidente. A produção diária da Replan gira em torno de 415 mil barris de derivados. Segundo a Petrobras, a refinaria de Paulínia atende aos mercados do interior de São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Acre, Sul de Minas Gerais e Triângulo Mineiro, Goiás, Tocantins e Brasília. O que diz a empresa? A assessoria da Petrobras confirmou, em nota, que houve a desinterdição da estrutura e estima retomada de 100% da capacidade de processamento até o fim deste mês. A unidade de craqueamento catalítico afetado pelo incidente havia sido liberada em novembro do ano passado. Área da Replan, refinaria da Petrobras em Paulínia, é resfriada após explosão. Reprodução/EPTV Veja mais notícias da região no G1 Campinas.
Veja Mais

16/01 - Petrobras eleva em 2,5% preço médio da gasolina nas refinarias
Estatal também informou que preço diesel segue estável nas refinarias. Sede da Petrobras no Rio de Janeiro Sergio Moraes/Reuters A estatal Petrobras elevará os preços da gasolina em suas refinarias para R$ 1,4990 por litro a partir de sábado, um reajuste de 2,5%, enquanto o diesel segue com a cotação atual de R$ 1,9484 por litro, segundo informações no site da companhia. O reajuste acontece em meio a uma leve alta nos preços do petróleo no mercado internacional e uma desvalorização do real frente ao dólar, conforme a estatal tem prometido acompanhar o câmbio e as cotações internacionais em sua política de preços, em busca de maior rentabilidade. O repasse do reajuste ao consumidor final, nos postos, irá depender de uma série de variáveis, como a margem de revendedores e distribuidores, de impostos e da mistura obrigatória de biocombustível. Preço nos postos Na semana passada, o preço médio da gasolina nos postos do Brasil recuou 0,76%, para R$ 4,297 por litro, de acordo com o levantamento semanal da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). O preço médio do diesel, combustível mais consumido do Brasil, caiu 0,2% nos postos nesta semana, para R$ 3,434 por litro.
Veja Mais

16/01 - Ações da Snap caem 13,76% com saída de executivo
É a segunda vez em menos de um ano que a empresa troca de diretor financeiro e impacto da notícia foi sentido no mercado. Outros executivos também deixaram a Snap em 2018. O fantasminha símbolo do Snapchat na Bolsa de Valores de Nova York, no dia em que a Snap, dona do app, começou a vender suas ações ao público. Lucas Jackson/ Reuters As ações da Snap, a companhia-mãe da rede social Snapchat, caíram 13,76% nesta quarta-feira (16). A forte queda aconteceu depois que Tim Stone ter deixado o cargo como diretor financeiro da empresa. Ele é o segundo nome a deixar o posto em menos de um ano — mudanças muito criticadas Stone estava na Snap há apenas 8 meses e afirmou nesta terça-feira (15), que deixa a companhia. Ele trabalhou por 20 anos na Amazon antes de ir para a Snap, onde substituiu Andrew Vollero. A saída acontece em meio a um período turbulento para a companhia, que tem enfrentado perdas de ações e baixo crescimento de usuários. O diretor de estratégia, Imran Khan, e o vice-presidente de engenharia de monetização, Stuart Bowers, também deixaram a companhia no ano passado. Em 2018, as ações da empresa caíram 63,1% e o número de usuários caiu mais do que era esperado. Para piorar, a Snap está sendo investigada pelos órgãos reguladores do mercado nos Estados Unidos, sob suspeita de ter dados falsos durante o processo de abertura de capital. O Snap é acusado de ter subestimado e apresentado informações confusas sobre o impacto que concorrentes como o Instagram teriam no crescimento do negócio. Muitos analistas em Wall Street consideraram a saída de Stone como "materialmente negativa", argumentando que a perda de um profissional experiente da indústria tornaria mais difícil para a companhia contratar e reter executivos de alto escalão. "Acreditamos que a saída [de Stone] será muito negativa para empresa e atrapalhe a execução e capacidade de competir no mercado", escreveu o analista Jonathan Kees, do Summit Insights. "Ele adicionava credibilidade à equipe sênior de gestão, que tinha pouca experiência", acrescentou Kees. Apenas três analistas de Wall Street hoje recomendam a compra de ações da Snap, enquanto 10 recomendam a venda e 24 têm classificação neutra para o papel, segundo dados da Refinitiv.
Veja Mais

16/01 - 60% das espécies de café do mundo correm risco de extinção, afirma pesquisa britânica
Foi a primeira vez que os pesquisadores analisaram, segundo metodologia de referência, o risco de extinção de todas as 124 espécies de café conhecidas. O café arábica, como esse produzido na Etiópia, está entre as diversas variedades que podem desaparecer com a mudança climática Aaron Davis/RBG Kew O cafezinho do dia a dia está ameaçado. "Pelo desmatamento e pelo aquecimento global", afirma sem meias palavras o botânico e especialista em café Aaron Davis à BBC News Brasil. O cientista é líder de pesquisa em café do Royal Botanic Gardens de Kew, no Reino Unido. De acordo com dois estudos desenvolvidos por Davis e sua equipe, publicados nesta quarta-feira (16) nos jornais científicos Science Advances e Global Change Biology, 60% das espécies de café conhecidas no mundo correm risco de extinção. Inclusive o arábica (Coffea arabica), o café mais consumido no planeta. "No caso do arábica, as mudanças climáticas têm um impacto ainda maior em sua sobrevivência do que o desmatamento", comenta Davis. "O arábica é classificado como ameaçado de extinção na natureza principalmente devido à mudança climática. E vale ressaltar que é a única espécie que tem projeções de mudanças climáticas incluídas em sua avaliação de risco de extinção." Foi a primeira vez que os pesquisadores analisaram, segundo a metodologia da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN, na sigla em inglês), o risco de extinção de todas as 124 espécies de café conhecidas. E, de acordo com tais critérios, estão na Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas o preocupante número de 75 espécies - ou 60% do total - de café do mundo. O café arábica é o mais consumido do planeta Aaron Davis/RGB Kew De acordo com as pesquisas, o cenário para a produção global de café a longo prazo é "preocupante". Segundo os cientistas, as maiores ameaças às espécies de café são o desmatamento, as mudanças climáticas e a propagação de doenças e fungos patogênicos. As conclusões são baseadas em mais de 20 anos de análises, em que cientistas de Kew se dedicaram a descobrir, avaliar e documentar as espécies de café em todo o planeta. Riscos A visão sombria para o futuro do café arábica já havia sido revelado por esses pesquisadores em 2012. Na época, por meio de simulações de computador, eles conseguiram prever o impacto do aquecimento global na produção da planta - concluindo que as áreas propícias ao cultivo do arábica podem ter uma redução de 85% até 2080. Nas pesquisas atuais, a equipe do instituto deteve-se no estudo das espécies de café como um todo. Segundo comunicado do Royal Botanic Gardens, "os resultados dos estudos publicados hoje são extremamente preocupantes", sobretudo para "a indústria multibilionária do café que se baseia no uso de espécies de café silvestre". "Alguns deles, incluídos na lista como ameaçados, configuram-se como espécies que podem ser fundamentais para o futuro da produção de café", prossegue a nota divulgada pela instituição. O café Ambongo, de Madagascar (grãos maiores) é uma das variedades em risco RGB Kew Atualmente, duas espécies de café dominam o mercado mundial de café: cerca de 60% são Coffea arabica e o restante é Coffea canephora, o robusta. Considerando simplesmente o consumo humano, a preocupação com as demais 122 espécies tem um motivo: banco genético. Como milhares de ameaças surgem para dificultar o cultivo do café no planeta, uma mais grave que a outra, outras espécies podem vir a ser necessárias para o desenvolvimento e a melhoria das plantas atualmente cultivadas comercialmente. "Entre as espécies ameaçadas de café estão aquelas com uso potencial para crescer e desenvolver cafés no futuro, incluindo variedades resistentes a doenças e capazes de resistir à deterioração das condições climáticas", pontua Davis. "O uso e a melhoria dos recursos do café silvestre podem ser fundamentais para a sustentabilidade do setor no longo prazo. Para proteger o futuro do café, é necessário tomar medidas urgentes em países tropicais específicos, particularmente na África." O robusta não está na lista dos ameaçados - ao menos por enquanto. "Até o início do século 20, o robusta não havia sido utilizado para a produção de café fora da África. Trata-se de espécie que só foi conhecida pela ciência em 1897", afirma Davis. "É um exemplo de uma espécie selvagem subutilizada por muito tempo que acabou se tornando uma mercadoria de bilhões de dólares em apenas 120 anos. Isto porque seus genes são utilizados na criação de cultivares (ou variedades) resistentes a doenças de café arábica. Ou seja: sem o uso dessa espécie silvestre a paisagem cafeeira do mundo ficaria muito diferente do que é hoje." Davis usa este exemplo para apontar como outras espécies podem vir a ser utilizadas, no futuro, para tal melhoramento genético daquilo que vai resultar nas xícaras. "Olhando para o futuro, é provável que, assim como ocorreu com o robusta, usemos outras espécies silvestres, especialmente para o melhoramento de plantas, para combater as crescentes ameaças de doenças, pragas e, particularmente, a mudança climática. Não podemos confiar apenas em arábica e robusta", ressalta. Alerta O café Ambongo, de Madagascar (grãos maiores) é uma das variedades em risco Aaron Davis/RGB Kew "Esperamos que nossas descobertas sejam usadas para influenciar o trabalho de cientistas, autoridades e todos os envolvidos, a fim de garantir o futuro da produção de café - não apenas para os amantes de café em todo o mundo, mas como uma fonte de renda para comunidades agrícolas em alguns dos lugares mais pobres do mundo", afirma o cientista do Royal Botanic Gardens. Para Aaron Davis, a solução está na volta à natureza selvagem. "Nosso trabalho deixa claro que áreas ambientalmente protegidas exigem mais recursos para que possam incorporar mais e mais espécies de café e maior diversidade genética de café, melhorar suas instalações e sua gestão", defende. "Isso é particularmente verdadeiro em países africanos como Etiópia, Tanzânia, Camarões e Angola e Madagascar, que abrigam os mais altos níveis de diversidade de espécies de café silvestres em todo o mundo." De acordo com o pesquisador, a utilização comercial de espécies de café silvestres "pode beneficiar a sua sobrevivência, pois as espécies mais valorizadas são frequentemente prioridades mais óbvias para a conservação". "Na Etiópia, a cafeicultura está sendo usada para preservar as populações silvestres do café arábica", cita o cientista, se lembrando de projetos de conservação como o Yayu, cujo modelo consiste em melhorar a qualidade do café para que o valor pago aos agricultores seja maior - com isso, há incentivo real para manter as áreas naturais de cultivo. Em tempos de forte descrença política aos efeitos do aquecimento global, Davis aproveita para fazer um alerta que não se restringe somente ao cafezinho nosso de cada dia. "Esta questão se estende a todas as nossas espécies de plantas silvestres, especialmente àquelas que desempenham um papel crítico na sustentabilidade do futuro do nosso planeta e no bem-estar de seus habitantes", pontua.
Veja Mais

16/01 - Incerteza abala confiança de empresas norte-americanas, afirma Fed
BC dos EUA aponta que a economia do país segue crescendo, mas as incertezas preocupam. A atividade econômica dos Estados Unidos continua crescendo, embora modestamente, nas últimas semanas, mas a incerteza política e comercial está minando o otimismo, disse nesta quarta-feira (16) o Federal Reserve (Fed, o Banco Central americano). As empresas também estão preocupadas com a volatilidade dos mercados e as taxas de juros crescente, de acordo com o Livro Bege do Fed, baseado em pesquisas sobre os rumos da maior economia do mundo. Além disso, em todo o país as empresas precisam lutar para conseguir ou para manter funcionários, apesar de os salários estarem aumentando. Algumas precisaram suspender tarefas por falta de mão de obra, afirma o relatório. REUTERS/Kevin Lamarque/ Sede do Federal Reserve em Washington, D.C, em imagem de arquivo
Veja Mais

16/01 - Brasil e Argentina cogitam fim da regra do Mercosul que proíbe livre comércio bilateral com outro país
Proposta foi discutida nesta quarta-feira (16) durante visita oficial do presidente argentino Mauricio Macri a Brasília. Paraguai e Uruguai já se manifestaram a favor desta possibilidade. Macri e Bolsonaro brindam após almoço no Palácio do Itamaraty Isac Nóbrega/PR As chancelarias de Brasil e Argentina discutiram nesta quarta-feira (16) em Brasília, durante a visita oficial do presidente argentino Maurício Macri ao país, a possibilidade de flexibilizar regras do Mercosul que proíbem integrantes do bloco sul-americano de negociar individualmente acordos de livres comércio com outros países. Além de Brasil e Argentina, o Mercosul também é composto por Venezuela, Uruguai, Paraguai. A Venezuela, entretanto, está suspensa do bloco acusada de "ruptura da ordem democrática". No passado, os governos paraguaio e uruguaio já se manifestaram a favor da possibilidade de integrantes do Mercosul negociarem individualmente com outras nações acordos de livre comércio. Segundo fontes do Itamaraty, a proposta de flexibilização dos acordos bilaterais foi colocada "sobre a mesa" nesta quarta por integrantes dos governos do Brasil e da Argentina nas conversas realizadas em meio à primeira visita oficial de Macri ao Brasil após a posse do presidente Jair Bolsonaro. O chefe de estado argentino não compareceu à posse do colega brasileiro em 1º de janeiro. A proposta que pode pôr fim à exigência de acordos coletivos de livre comércio com outros países ainda é "genérica" e sem "contornos claros", informaram integrantes do governo brasileiro. Ainda de acordo com essas fontes, a ideia precisa ser formatada com os outros sócios do bloco. Afinando o discurso Ainda segundo fontes do governo Bolsonaro, ficou clara durante as reuniões desta quarta-feira a disposição dos dois principais sócios do Mercosul de continuar a trabalhar conjuntamente no bloco sul-americano. A integração do governo brasileiro com o Mercosul havia sido colocada em dúvida em razão de uma declaração polêmica do ministro da Economia, Paulo Guedes, de que o bloco não seria a prioridade da nova gestão. Na manhã desta quarta-feira, relataram integrantes do Executivo federal, Paulo Guedes aproveitou a visita de Macri a Brasília para elogiar a relação bilateral do Brasil com a Argentina e a importância do Mercosul para o governo brasileiro. Ajustando o discurso de campanha com a nova realidade de presidente da República, Bolsonaro manifestou nesta manhã que as declarações que deu cobrando um Mercosul mais enxuto vão na linha de avaliar quais estruturas e órgãos são realmente necessários ao funcionamento do bloco. No plano externo, informaram as fontes do Itamaraty, o objetivo da administração Bolsonaro será focar nos acordos do bloco que podem ser fechados rapidamente. No momento, as duas negociações mais adiantadas são com o Canadá e com a União Europeia. De acordo com integrantes da chancelaria brasileira, a prioridade dos argentinos é em fechar o acordo de livre comércio com o bloco europeu. No plano interno, o interesse do governo brasileiro é baixar a Tarifa Externa Comum (TEC), que pode ser colocada em prática setorialmente. A TEC é a tarifa usada pelo países integrantes do Mercosul para taxar importações de países de fora do bloco sul-americano.
Veja Mais

16/01 - Energisa consegue derrubar decisão para aumentar conta de luz em 27,12% em RO
Decisão foi de desembargador do TRF-1. Caso sobre aumento corre na Justiça desde dezembro de 2018. Decisão de cobrar reajuste saiu do TRF-1 Divulgação A Energisa conseguiu derrubar a decisão da 1ª Vara Federal de Rondônia para reajustar a conta de luz em 24,75% nas residências e 27,12% em alta tensão no estado. A decisão favorável ao grupo foi divulgada nesta quarta-feira (16) e obtida através do Tribunal Regional da 1ª Região (TRF-1). No documento oficial, o desembargador Carlos Moreira Alves diz que o grupo não descumpriu as normas para fazer tal reajuste, "já que o resultado do processo tarifário não consubstancia decisão discricionária da ANEEL e sim cumprimento da fórmula paramétrica constante no Contrato de Concessão". O reajuste de 24,75% em residências e comércios do estado, e de 27,12% na energia de alta tensão começou a valer em 13 de dezembro de 2018. Após o anúncio, o Ministério Público Federal (MPF), Ministério Público do Estado de Rondônia (MP-RO), Defensoria Pública do Estado de Rondônia (DPE-RO) e o Conselho Estadual de Defesa do Consumidor entraram na Justiça pedindo a anulação do reajuste na conta de luz do consumidor. Ainda em dezembro, a Justiça Federal em Rondônia derrubou a cobrança e estipulou multa diária de R$ 100 mil à Energisa, caso o reajuste fosse feito e estendeu a decisão de suspensão à gência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), responsável por aprovar o aumento tarifário. Na época, o grupo que comprou a Ceron se pronunciou dizendo que reajuste não violava nenhuma lei. A empresa também associou o reajuste à geração de energia elétrica, que teria ficado mais cara nos últimos meses. Com a proibição da cobrança do reajuste, o grupo recorreu no TRF-1. A decisão ainda cabe recurso. À Rede Amazônica, a empresa informou na tarde desta quarta-feira que já vai cobrar o reajuste a partir desta quinta-feira (17) na conta do consumidor.
Veja Mais

16/01 - Logum quer expandir duto de etanol para Centro-Oeste, de olho em álcool de milho
Duto de etanol é o único do Brasil. Empresa tem financiamento do BNDES e quer alcançar mais usinas no centro do país. Produção de etanol de milho deve chegar a 5 bilhões de litros nos próximos 3 a 5 anos, segundo a Logum Divulgação/Copersucar A Logum, empresa que opera o único duto de etanol do Brasil, está buscando expandir o sistema para o centro do país para alcançar mais usinas e possivelmente a nascente indústria de álcool de milho, que deve crescer. Wagner Biasoli, CEO da companhia, disse à Reuters que a Logum garantiu financiamento para uma expansão para ligar novas usinas no Estado de Minas Gerais, impulsionar a entrega para São Paulo e atingir capacidade total de 6 bilhões de litros por ano. Em seguida, estão os Estados de Goiás e Mato Grosso, no Centro-Oeste, alguns dos maiores produtores de grãos do país, disse ele, acrescentando que os novos incentivos aos biocombustíveis que entrarem em vigor em 2020 deverão ajudar a impulsionar a demanda por etanol. Parceria de gigantes A Logum é uma parceria entre a Petrobras e as gigantes de açúcar e etanol Raízen e Copersucar. Os coproprietários fecharam um acordo no final do ano passado para comprar as fatias das empresas de engenharia Odebrecht e Camargo Corrêa, aumentando suas participações de 20% para 30% cada. Os detalhes financeiros não foram divulgados. A saída de Odebrecht e Camargo Corrêa, duas empresas envolvidas no maior escândalo de corrupção do Brasil, abriu caminho para o banco estatal de desenvolvimento BNDES estender uma linha de crédito de R$ 1,8 bilhão para os planos de expansão da Logum. Foco no milho A próxima fronteira é o etanol de milho. "Estive no Mato Grosso na semana passada. Estamos analisando a possibilidade de estender nosso duto para Cuiabá", disse Biasoli, referindo-se à capital do principal estado brasileiro produtor de grãos. Biasoli citou previsões do mercado de etanol de milho crescendo para 1 bilhão de litros em Mato Grosso neste ano, contra 300 milhões de litros em 2018. "O Estado deve chegar a 5 bilhões de litros nos próximos três a cinco anos", disse ele. Há vários projetos em andamento para produzir etanol a partir do milho em Mato Grosso, Estado que aumentou drasticamente sua produção de milho. O movimento está mudando a indústria brasileira de etanol, há muito focada na cana-de-açúcar. Agricultores de MT se animam com vendas de milho para usinas de etanol A Logum atualmente movimenta 2,5 bilhões de litros de etanol por ano, principalmente da região de Ribeirão Preto para os mercados de São Paulo e Rio de Janeiro. Também leva o etanol para navios na costa do Rio para exportar ou abastecer o Nordeste do país. Os custos de transporte têm sido um dos maiores obstáculos para a expansão da produção de etanol no Brasil central. A produção atual é majoritariamente vendida localmente, em vez de ser transportada em caminhão cerca de 2 mil quilômetros para mercados do Sudeste e terminais de exportação.
Veja Mais

16/01 - Quando a prestação está muito alta, é melhor vender o imóvel?
"Tenho uma casa financiada, devo uns R$ 170 mil. Pago R$ 2 mil por mês. Minha intenção é reduzir gastos. O que é melhor? Vender a casa e comprar uma mais barata? Ou alugar a minha e pagar um aluguel mais em conta?" Veja a resposta dessa e outras perguntas no vídeo abaixo, do SP1. Samy Dana dá dicas sobre investimentos em imóveis
Veja Mais

16/01 - Rede americana Sears fecha acordo com credores para evitar fechamento
Presidente da rede fez acordo de US$ 5 bilhões para recomprar a empresa e evitar o fechamento de 400 lojas. Carrinho de compras em, loja da Sears, em Nova York Shannon Stapleto/Reuters O presidente da rede americana de lojas de departamento Sears, Edward Lampert, fechou um acordo de US$ 5 bilhões com os credores para recomprar a empresa e evitar o fechamento de 400 lojas Depois de dias de negociações no leilão de ativos, venceu uma proposta melhorada de Lampert, dono do fundo de alto risco ESL Investments, que pretende manter a empresa, que tem 126 anos e 50 mil funcionários, de acordo com o "The Wall Street Journal". A Sears declarou falência diante de um tribunal de Nova York em 15 de outubro, após sete anos de perdas, que chegaram a US$ 11 bilhões. O plano de resgate ainda tem que ser aprovado pelo juiz numa audiência marcada para 1º de fevereiro. Desde o mês passado, Lampert fez várias ofertas que foram recusadas pela firma responsável pelo fechamento da rede por serem abaixo do valor, mas o juiz teria defendido a assinatura de um acordo para manter a empresa aberta. Nesta última oferta do presidente há uma cláusula de US$ 1,30 bilhão de "oferta de crédito", conforme a qual parte do acordo será financiado por um perdão de dívidas ao seu fundo ESL. O pacto foi firmado na madrugada desta quarta-feira, depois de a ESL aceitar pagar US$ 150 milhões a mais para assumir a Sears, além de assumir mais responsabilidades financeiras. Alguns credores, porém, não confiam na oferta de Lampert, lembraram decisões controversas que ele tomou como executivo-chefe da companhia e poderiam recorrer da oferta, atrasando a decisão final do juiz, de acordo com o canal "CNBC". Quando declarou falência, a Sears operava, aproximadamente, 700 lojas nos Estados Unidos. O acordo representa o fechamento de 300 unidades para cumprir o objetivo da oferta.
Veja Mais

16/01 - Céleres corta previsão para safra de soja a 117,2 milhões de toneladas por tempo seco
Na visão da consultoria, assim como da Conab e outras entidades, o recorde de colheita que se desenhava para a atual safra já pode ser descartado e ainda há risco de mais perdas. Irregularidade nas chuvas e altas temperaturas afetaram enchimento de grãos nas lavouras de soja de MS e PR Jonatas Boni/G1 A safra de soja 2018/19 do Brasil, em colheita, deverá alcançar 117,2 milhões de toneladas, disse a consultoria Céleres à Reuters nesta quarta-feira (16), em um corte de cerca de 5 milhões de toneladas, ou 4%, ante a estimativa passada, de novembro. A revisão é mais uma dentre diversas outras feitas por consultorias e instituições nos últimos dias, refletindo o tempo quente e seco que afetou lavouras em importantes áreas produtoras desde dezembro. Conab deixa de estimar safra de soja recorde e cita 'danos irreversíveis' por estiagem Agroconsult vê safra de soja do Brasil menor diante de clima desfavorável Safra de soja deve cair por conta da seca, dizem entidades "O que conseguimos observar, entre o final do ano passado e início deste, foi que em regiões no Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo houve grande queda de produtividade", afirmou o analista de mercado da Céleres, Enilson Nogueira. Conforme ele, a "grande explicação" para esse impacto é que parte considerável da oleaginosa foi plantada mais cedo neste ano e, em dezembro, enfrentou a irregularidade nas chuvas e as altas temperaturas em uma importante fase de desenvolvimento, de enchimento de grãos. A Céleres manteve sua previsão de área plantada com soja no Brasil, o maior exportador global da oleaginosa, em 36,2 milhões de hectares. Dados do Agriculture Weather Dashboard, do Refinitiv Eikon, mostram que nos últimos 2 meses choveu aquém da média em praticamente todo o Centro-Oeste e também no Paraná e no Matopiba, fronteira agrícola composta por Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia. Muitas áreas viram precipitações mais de 100 milímetros abaixo da média. Em Goiás, o noroeste registrou chuvas 288 milímetros inferiores ao esperado. Na avaliação de Enilson, assim como da Conab e outras entidades, o recorde de colheita que inicialmente se desenhava para a atual safra já pode ser descartado, enquanto mais perdas são esperadas caso as condições climáticas não melhorem. Assim, o ciclo 2017/18 deve seguir como o de maior produção da história, com 119,3 milhões de toneladas, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Milho A Céleres também revisou suas estimativas para o milho de primeira safra, o chamado "milho verão". Segundo Enilson, o tempo adverso afetou a cultura, embora não na mesma intensidade que a soja. A expectativa é de que o Brasil colha 28 milhões de toneladas na primeira safra de milho, ante 29 milhões na estimativa anterior. A área semeada alcança 5,48 milhões de hectares, praticamente estável entre os levantamentos, segundo os números da consultoria.
Veja Mais

16/01 - Em reestruturação, Louis Dreyfus vai deixar setor de laticínios ainda em 2019
Gigante tem focado em commodities de grãos e oleaginonas e diz que saída do setor não terá 'nenhum impacto' sobre suas vendas globais. A Louis Dreyfus Company anunciou nesta quarta-feira (16) que venderá ou fechará seus negócios com pequenos laticínios até meados deste ano, uma vez que a gigante tem focado commodities como grãos e oleaginosas. A Louis Dreyfus, empresa de capital fechado, já havia dito em comunicado que o segmento não faz parte de suas atividades essenciais. "Os negócios (de laticínios) representaram cerca de 1% de nossas receitas em 2018 e exigiram recursos substanciais de capital de giro", disse o diretor financeiro, Federico Cerisoli. "A saída não terá praticamente nenhum impacto sobre nossas vendas globais... e espera-se que tenha um leve efeito positivo em nosso capital de giro a partir de 2019", disse a empresa. Como os rivais grupos de commodities agrícolas, a Louis Dreyfus reorganizou as atividades em meio a margens decrescentes nas negociações tradicionais. A Louis Dreyfus faz parte do quarteto de gigantes das commodities agrícolas conhecido como "ABCD", que inclui Archer Daniels Midland, Bunge e Cargill. A companhia tem passado por uma série de mudanças de gestão nos últimos anos.
Veja Mais

16/01 - Tribunal de Justiça de SC publica edital de concurso para 5 vagas de juiz substituto
Inscrições abrem na sexta (18) e vão até 18 de fevereiro. Salário é de R$ 28.883,98. Tribunal de Justiça de Santa Catarina Arquivo/TJSC O Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) publicou o edital do concurso público para cinco vagas de juiz substituto. As inscrições abrem nesta sexta-feira (18) no site do concurso e vão até 18 de fevereiro. O subsídio é de R$ 28.883,98. A taxa de inscrição é de R$ 280. Os candidatos precisam ter entre 21 e 65 anos na data da posse, formação em direito e três anos de experiência jurídica. Mais informações podem ser encontradas no edital. São três vagas de ampla concorrência, uma reservada para candidatos com deficiência e a outra reservada a candidatos negros. A primeira etapa consiste de uma prova objetiva, que será feita em 28 de abril. Caso o candidato seja aprovado, ele fará outras duas provas escritas, nos dias 28, 29 e 30 de junho. As próximas etapas consistem em inscrição definitiva, com apresentação do diploma, uma prova oral e avaliação dos títulos. Veja mais notícias do estado no G1 SC
Veja Mais

16/01 - Governo corta previsão para valor da produção agropecuária em 2019 para R$ 581,6 bilhões
A última previsão do Ministério da Agricultura era de que o valor ficasse em R$ 584,6 bilhões. Em 2018, total foi de R$ 569,8 bilhões. Melhoria da pecuária levou governo estimar maior valor para a produção do setor agropecuário em 2019 Reprodução/TV Rio Sul O valor bruto da produção agropecuária do Brasil (VBP) deve alcançar R$ 581,6 bilhões neste ano, projetou nesta terça-feira (15) o Ministério da Agricultura, em um corte ante a estimativa anterior, mas ainda assim cerca de 2% acima do registrado em 2018. Em dezembro, a pasta projetava, de modo preliminar, um VBP de R$ 584,6 bilhões em 2019. A redução ocorre após lavouras de soja do país, principal item da pauta de exportação brasileira, serem prejudicadas pelo tempo quente e seco, em especial nos Estados de Mato Grosso do Sul e Paraná. Conab deixa de estimar safra de soja recorde e cita 'danos irreversíveis' por estiagem Agroconsult vê safra de soja do Brasil menor diante de clima desfavorável Pecuária em alta Entretanto, graças "à melhoria da pecuária, que mostra crescimento em quase todas suas atividades", o VBP em 2019 deve ser 2,1% superior ao de R$ 569,8 bilhões do ano passado, que, por sua vez, ficou aquém dos R$ 582,3 bilhões de 2017. Segundo o Ministério da Agricultura, os produtos que deram maior sustentação ao VBP no ano passado foram algodão, café e soja, embora cana-de-açúcar e milho também tenham se destacado por "expressiva participação no valor gerado". Os valores da produção de algodão e de soja, por sinal, foram os maiores registrados na série iniciada em 1989, destacou o ministério. O Brasil colheu um recorde de 120 milhões de toneladas de soja em 2017/18. Ao contrário do esperado para 2019, o ano que passou não foi favorável para a pecuária, que teve redução de valor em suas principais atividades, como carne bovina, frango, carne suína, leite e ovos. Preços internacionais e retração do consumo interno estão associados a esse desempenho, analisou o coordenador-geral de Estudos e Análises da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, José Garcia Gasques. Dos R$ 569,8 bilhões do VBP total de 2018, R$ 383,9 bilhões vieram das lavouras e R$ 186 bilhões da pecuária.
Veja Mais

16/01 - PAT de Capivari oferece 13 vagas de emprego e estágio
Interessados devem ir ao PAT e levar documentos como RG, CPF, Carteira de Trabalho, número do PIS e currículo. PAT de Capivari funciona de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 16h30 Prefeitura de Capivari Capivari (SP) tem 13 vagas de emprego e de estágio disponíveis para diferentes áreas. As oportunidades são oferecidas pelo Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) e todas exigem experiência, exceto para os estágios. Confira abaixo as vagas. Os interessados devem comparecer ao PAT com RG, CPF, Carteira de Trabalho, número do PIS e currículo. A unidade fica na Rua João Gonçalves de Olvieira, 27, no Santa Terezinha, e funciona de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 16h30. O telefone é o (19) 3491-9056. Vagas: Ajudante de fundição Especificações: Embalar peças, jatear peças em cabine de microesfera de vidro, rebarbar peças. Ensino médio completo. Desejável curso de usinagem do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) Eletricista de construção civil Especificações: Ensino fundamental completo e NR10 Ferramenteiro Especificações: Ensino médio completo e curso na área Lubrificador de máquinas Especificações: Ensino fundamental completo Montador de móveis de madeira Especificações: Condução própria para trabalhar Operador de CNC Especificações: Fazer medição de peças, utilizando os instrumentos de medição, conforme plano de controle e fabricação, e ajustar as máquinas para início da produção. Ensino médio completo, curso na área de CNC, mecânica multifuncional e CEP Operador de motoniveladora Especificações: Ensino fundamental completo. Operador de rolo compactador Especificações: Ensino fundamental completo. Operador de trator de esteira Especificações: Ensino fundamental completo Técnico em enfermagem Especificações: Técnico em enfermagem concluído. Estágio em administração Especificações: Cursando administração a partir do 2° ano ou técnico Estágio em psicologia Especificações: Cursando psicologia a partir do 2° ano Estágio em serviço social Especificações: Cursando serviço social Veja mais notícias da região no G1 Piracicaba
Veja Mais

16/01 - Recurso tenta reverter decisão do TST em negócio entre Embraer e Boeing
Presidente do tribunal liberou em dezembro a União do trâmite de consulta ao Conselho de Segurança para conclusão de acordo. MPT quer que decisão seja reformada e teme que transação represente risco aos níveis de emprego no Brasil. Empresas querem criar uma nova companhia no setor de aviação comercial Reprodução/Voando Juntas O Ministério Público do Trabalho (MPT) divulgou nesta quarta (16) que entrou com um recurso para pedir, em caráter de urgência, que a decisão do ministo Brito Pereira, presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), seja reconsiderada. O magistrado tinha liberado, no último dia 17, a União de consultar o Conselho de Segurança Nacional antes de aceitar a transação para criação de uma nova empresa entre Embraer e Boeing. Para a Procuradoria, o despacho do tribunal coloca em risco a manutenção dos empregos no Brasil. O órgão quer um compromisso das empresas quanto à manutenção das atividades produtivas no país. Para isso, acredita que é necessário que criação da 'joint venture' seja submetida ao conselho - que é ferramenta consultiva da presidência em assuntos de segurança nacional e política externa. A Embraer emprega em São José dos Campos, sede da companhia, 12 mil pessoas. Em todo país, a empresa tem 16 mil funcionários. Atualmente, a produção no setor de aviação comercial da fabricante brasileira, alvo da negociação com a Boeing, é concentrada no interior de São Paulo. A subprocuradora-geral do MPT, Maria Aparecida Gugel, assina o recurso que foi protocolado na última segunda-feira (14) e está em sigilo. Em nota pública, também divulgada pelo órgão nesta quarta, a procuradoria destaca a ausência dessas garantias aos trabalhadores. "O Ministério Público do Trabalho vem externar a preocupação com a ausência de garantias jurídicas reais de preservação dos postos de trabalho e ao estímulo ao emprego de qualidade no Brasil", disse em trecho. Poder de veto O recurso jurídico foi pleiteado menos de uma semana depois que o governo de Jair Bolsonaro (PSL) descartou o uso da da golden share - ou seja, o poder veto ao negócio entre a Embraer e Boeing. Para governo, a proposta apresentada pelas empresas preserva a soberania e os interesses nacionais. A procuradoria discorda da avaliação da presidência e quer que essa decisão também seja revista. O órgão informou em nota que mandou documentos, no último mês, com subsídios para nova análise do acordo apresentado pelas duas companhias. Esse pedido de reavaliação da decisão, diferente do recurso, é um apelo e não tem efeito jurídico. "Não há qualquer garantiaque a atividade produtiva e os empregos continuarão no Brasil de que e as empresas se recusaram, em mais de um oportunidade, a dar tal garantia", disse o procurador do trabalho, Rafael de Araújo Gomes, que junto com a subprocuradora Maria Aparecida Gurgel integra uma força-tarefa do MPT para acompanhar as negociações das duas fabricantes de aeronaves. Sindicato O Sindicato dos Metalúrgicos compartilha a preocupação do MPT com os postos de trabalho. Para a entidade, o fechamento de postos de trabalho no Brasil pode ocorrer como consequência do fim do ciclo da família de jatos E2, lançada em 2016 pela Embraer. "A fabricação de aviões tem ciclo e esse ciclo do E2 vai acabar entre cinco e 10 anos. Nesse momento não vai se vender mais como hoje, isso ocorre porque é assim que funciona o mercado. Se não for lançado um novo avião para ser projetado e produzido no Brasil, não há como manter esse nível de emprego de hoje", disse Herbert Claros, diretor do Sindicato dos Metalúrgicos. Ele considera que sem uma cláusula ao negócio ou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), a Boeing pode fazer com que a fábrica brasileira produza apenas partes da fuselagem, peças ou componentes de aviões. "É preciso ter garantias que entre um novo projeto ao fim do ciclo do E2 para o Brasil. Não acreditamos que os EUA vão dar um avião para ser projetado e produzido no Brasil", disse. O que dizem as empresas A Embraer não comentou o assunto. A Boeing foi procurada e o G1 aguarda o retorno.
Veja Mais

16/01 - Controladores da Taurus venderam ações em dia de decreto de posse de armas
Participação vendida pela Tauruspar equivale a 0,56% do total de ações preferenciais, e de 3,27% das ordinárias. Acionistas controladores da Taurus venderam ações da companhia na terça-feira (15), mesmo dia em que o presidente Jair Bolsonaro cumpriu promessa de campanha com assinatura de decreto que facilitou a posse de armas no país. Ação da Forjas Taurus despenca após Bolsonaro assinar decreto que facilita compra de armas; entenda De acordo com o comunicado ao mercado da empresa, a Tauruspar Participações, na qualidade de acionista controladora da companhia, vendeu no pregão de terça 260 mil ações ordinárias e 923 mil preferenciais. Os montantes equivalem a participações de 0,56%, no caso das preferenciais, e de 3,27% das ordinárias. A Tauruspar afirmou que "essa transação foi efetuada para obtenção de recursos financeiros e não objetiva alterar a composição do controle ou a estrutura administrativa da companhia". Até a segunda-feira, os papéis preferencias da Taurus tinham em 2019 um ganho de 104,94% e os ordinários, de 85,80%. Na terça-feira, as ações das duas classes fecharam em queda de mais de 20%. Em 2018, os papéis da Taurus dispararam na bolsa, em grande parte apoiados em sinalizações de Bolsonaro, no sentido de ampliação de investimentos em segurança pública e liberalização nas regras de posse de armas. Com as vendas de ações, a Tauruspar passou a ser titular de um total de 45.739.340 ações de emissão da fabricante de armas, representativas de 61,24% do capital social da companhia.
Veja Mais

16/01 - China pede a produtores de suínos que ampliem reposição de rebanhos em meio à peste suína
País luta contra uma epidemia de peste suína africana, que já atingiu 24 de suas províncias e levou ao abate de mais de 900 mil porcos. Doença é fatal para porcos, mas não afeta humanos. Governo chinês defina batalha contra a peste suína africana como "uma guerra de longo prazo" José Medeiros / Gcom-MT O governo da China recomendou aos criadores de porcos que reabasteçam rapidamente seus rebanhos e está planejando comprar mais carne suína para reservas, disse uma autoridade do governo chinês nesta quarta-feira (16). As medidas serão tomadas para reduzir as altas de preço esperadas para este ano, na esteira dos surtos de peste suína africana. Os preços do suíno no maior produtor mundial da carne devem subir na segunda metade de 2019, já que o número de porcos vem caindo, disse Tang Ke, diretor do departamento de mercado e informação do Ministério da Agricultura chinês. "Recomendamos que a maioria dos agricultores ajuste sua produção e aumente o reabastecimento de maneira oportuna", disse Tang, num momento em que os produtores têm promovido medidas para prevenir e controlar a peste suína africana. Surto de febre suína na China favorece criadores de frango JBS diz que peste suína na China pode beneficiar exportadores do Brasil e dos EUA A China luta contra uma epidemia de peste suína africana que já atingiu 24 de suas províncias e levou ao abate de mais de 900 mil porcos. A doença é mortal para os animais, mas não afeta humanos. Descrevendo a batalha contra a doença como uma "guerra de longo prazo", Tang disse que o problema ainda não atingiu os preços domésticos da carne suína e que os estoques atualmente são "suficientes". Ele espera que ainda não haja grande volatilidade nos preços da carne suína antes do feriado do Ano Novo Lunar, no início de fevereiro, quando a carne é amplamente consumida.
Veja Mais

16/01 - Impostos sobre ar condicionado e ventilador chegam a quase 50%; veja outros itens
Vodca é o produto mais tributado entre os muito consumidos no verão, com carga de 81,52%, segundo a ACSP. Bebidas alcoólicas estão entre os produtos com maior carga de tributos neste verão. Já aparelhos como o ar condicionado têm quase metade de seu preço composto por impostos, mostrou um levantamento da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) encomendado ao Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), nesta quarta-feira (16). ESPECIAL: QUANTO PAGAMOS DE IMPOSTOS? Quem comprar uma garrafa de vodca por R$ 10, por exemplo, vai pagar R$ 8,12 em tributos, de acordo com o levantamento. Já uma cerveja, também por R$ 10, será tributada em R$ 4,26. As bebidas não alcoólicas têm mais de 30% de impostos, como refrigerante em garrafa (46,47%), refrigerante em lata (44,55%) e água mineral (31,5%). Ventilador deve ser limpo corretamente para evitar prejuízos à saúde e ao bom funcionamento do mesmo Pexels/Divulgação Veja abaixo a lista de tributos que incidem sobre itens muito consumidos no verão, segundo a ACSP: Vodca: 81,52% Caipirinha: 76,66% Uísque: 67,03% Chope: 62,2% Refrigerante em garrafa: 46,47% Ar condicionado: 49,82% Cerveja: 42,69% Ventilador: 49,60% Óculos de sol: 44,18% Biquini: 42,19% Bronzeador: 41,64% Cadeira de praia: 40,62% Toalha: 34,67% Água mineral: 31,5% Chinelo: 31,09% Passagem aérea: 22,32% Aparelhos eletrônicos Um aparelho de ar-condicionado de R$ 1.200, por exemplo, terá quase R$ 600 em impostos, uma vez que a carga tributária que incide sobre o aparelho é de 49,82%. Um ventilador de R$ 100, por sua vez, terá R$ 49,60 em encargos. Sobre esses itens recaem IPI e ICMS altos. Se o produto vier de fora do Brasil, há também a taxa de importação, que sofre influência da flutuação do dólar, destacou a ACSP. O levantamento revela também que, para quem tira férias, uma diária em hotel tem tributação de 29,56%; já trajes de banho como biquíni, maiô e sunga têm carga tributária de 42,19%.
Veja Mais

16/01 - Ao lado de Macri, Bolsonaro diz que quer aperfeiçoar Mercosul e fortalecer relação com a Argentina
Bolsonaro disse que propósito é construir 'Mercosul enxuto', que continue a 'fazer sentido e ter relevância'. Presidente da Argentina foi recebido nesta quarta (16) em Brasília. Jair Bolsonaro defende a necessidade de aperfeiçoar o Mercosul O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (16), após encontro com o presidente da Argentina, Maurício Macri, que pretende aperfeiçoar o Mercosul e fortalecer a relação com o país vizinho. Bolsonaro recebeu visita do presidente da Argentina, no Palácio do Planalto, em Brasília. Este é o primeiro encontro entre os dois chefes de Estado desde que Bolsonaro assumiu a Presidência da República, há três semanas. "O propósito é construir um Mercosul enxuto, que continue a fazer sentido e ter relevância", afirmou. Logo depois das eleições de outubro, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que a relação com o Mercosul não seria prioridade para o governo Bolsonaro e prometeu fazer comércio com todo o mundo. Segundo ele, o Brasil ficou "prisioneiro de alianças ideológicas". Bolsonaro falou que quer aperfeiçoar o bloco. "Concordamos quanto à importância de, com Paraguai e Uruguai, aperfeiçoar o bloco e propor nova agenda de trabalho, sempre com sentido de urgência", disse. "No plano interno, o Mercosul precisa valorizar sua tradição original: abertura comercial, redução de barreiras e eliminação de burocracias", disse Bolsonaro em discurso após conversa com Macri. O presidente Jair Bolsonaro recebe o argentino Maurício Macri no Palácio do Planalto Ernesto Rodrigues/Estadão Conteúdo Sobre a relação com a Argentina, Bolsonaro disse que o Brasil "preza muito pela relação de amizade e cooperação" que mantém com o governo e com o povo argentino. "Essa é uma relação que queremos e trabalharemos para fortalecer sempre mais", disse. "Falamos com franqueza como deve ser entre amigos e parceiros, sem qualquer viés ideológico. Não há tabus na relação bilateral, o que nos move é a busca por resultados concretos", afirmou. Tarifa comum Após a fala dos presidentes, o Palácio do Planalto divulgou uma declaração conjunta. No caso do Mercosul, o texto reforçou que os presidentes trabalharão para que o bloco reveja a "tarifa externa comum", melhore o acesso a mercados e avance na facilitação do comércio e da convergência regulatória. Na agenda bilateral, Bolsonaro e Macri acordaram a necessidade do trabalho "objetivo" para "cumprir metas concretas, no curto prazo" em diferentes áreas. O chancelar argentino Jorge Faurie informou que uma das áreas na qual os países poderão trabalhar juntos é a da energia nuclear. Ele disse que os países tem "capacidade de cooperação" e "formação" para desenvolveram energia nuclear com "fins pacíficos”. Durante a visita de Macri, Brasil e Argentina assinaram a revisão de um tratado de extradição entre os países. Ainda segundo a nota, Bolsonaro aceitou o convite de Macri para visitar a Argentina. Não há data definida para a viagem. Venezuela Bolsonaro também falou sobre a crise na Venezuela. Na semana passada, o presidente Nicolás Maduro tomou posse para um novo período de seis anos à frente do país. No entanto, o mandato não é reconhecido por vários países da comunidade internacional, entre eles, os do Grupo de Lima, do qual o Brasil faz parte. O entendimento é de que a eleição de maio do ano passado, que elegeu Maduro, foram fraudulentas. “Nossa cooperação na questão da Venezuela é o exemplo mais claro do momento. As conversas de hoje com o presidente Macri só fazem reforçar minha convicção de que o relacionamento entre Brasil e Argentina seguirá avançando no rumo certo: o rumo da democracia, da liberdade e segurança e do desenvolvimento”, disse Bolsonaro. Maurício Macri, que também discursou após encontro com Bolsonaro, disse que os governos brasileiro e argentino não aceitam a votação que reelegeu Nicolás Maduro na Venezuela, o que ele classificou de "escárnio com a democracia". Ele disse que a comunidade internacional já percebeu que o líder venezuelano é um "ditador que quer se perpetuar no poder com eleições fictícias". Bolsonaro se reúne com presidente da Argentina, Mauricio Macri Itamaraty Após a manhã de reuniões no Palácio do Planalto, Bolsonaro ofereceu um almoço ao argentino no Palácio Itamaraty, sede do Ministérios das Relações Exteriores. No tradicional brinde proposto pelo presidente anfitrião, Bolsonaro disse que sob a liderança de Macri a Argentina caminha para modernizar o Estado. Bolsonaro não citou a reforma da Previdência, mas afirmou que o Brasil levará adiante reformas econômicas. "Também no Brasil estamos decididos a levar adiante reformas econômicas de envergadura que solte as amarras do nosso crescimento e gere emprego e renda para os brasileiros", disse Bolsonaro. O presidente disse ainda estar confiante na modernização do Mercosul "tanto no seu aperfeiçoamento interno, quanto na sua expansão das relações com o mundo".
Veja Mais

16/01 - YouTube proíbe vídeos com pegadinhas perigosas e dolorosas
Medida é resposta a série de 'desafios' que viralizaram na internet e deixaram mortos e feridos; americano bateu o carro ao dirigir vendado, inspirado em vídeos propondo imitar filme 'Birdbox', do Netflix. Youtuber Jake Paul participa de desafio baseado no filme 'Bird Box' Reprodução/YouTube/Jake Paul Vídeos do YouTube que retratam desafios ou pegadinhas perigosas ou emocionalmente desgastantes foram banidos da plataforma. A medida é uma resposta a uma série de "desafios" que viralizaram na internet. Alguns chegaram a deixar mortos e feridos. O site de compartilhamento de vídeos, que pertence ao Google, informou que esse tipo de material "não tem espaço no YouTube". No entanto, a empresa parece não estar conseguindo aplicar com eficiência o banimento de vídeos que ferem as normas da plataforma. Uma reportagem da Buzfeed detalhou como imagens de sexo com animais ou que fazem alusão a essa prática continuam a aparecer no site, embora em abril a plataforma tivesse decidido remover esse tipo de material. Alguns vídeos atraíram milhões de visualizações. O YouTube disse que "trabalha para reforçar fortemente as políticas de monetização para eliminar incentivos a esses abusos". Cruzando a linha E dar eficácia às novas regras sobre vídeos de desafios e "pegadinhas" pode ser ainda mais difícil, porque muitas vezes há ambiguidade sobre o que pode ou não ser considerado perigoso ou danoso psicologicamente. "O YouTube é a plataforma de várias brincadeiras e desafios virais que são benquistos", diz o YouTube, numa mensagem adicionada à lista de respostas a perguntas frequentes do site. "Dito isso, sempre tivemos políticas para garantir que o que é engraçado não cruze a linha para se tornar, também, perigoso e prejudicial." Segundo o YouTube, as diretrizes da empresa proíbem conteúdo que "encoraje atividades perigosas que podem resultar em danos". Agora, a plataforma decidiu acrescentar, de forma clara, que não aceitará "desafios ou pegadinhas que apresentem perigo visível de dano sério". Isso inclui a pegadinha de fazer com que alguém acredite que corre grande perigo, mesmo que esse risco não exista. Trauma infantil O site acrescentou: "Também não permitimos pegadinhas que causem desgaste emocional a crianças: que sejam graves a ponto de deixar uma criança traumatizada para a vida". O YouTube disse que está trabalhando em conjunto com psicólogos infantis para identificar o que pode constituir uma experiência traumática. Ele chegou a divulgar uma lista, mas disse que isso inclui casos em que uma criança é levada a acreditar que seus pais morreram. As novas regras são uma resposta a uma série de pegadinhas e desafios que podem ser desgastantes, no melhor dos cenários, e fatais, nos piores. Em maio, uma mulher do Estado americano de Minnesota, Monalisa Perez, de 20 anos, foi condenada a seis meses de prisão depois de matar o namorado, Mario Ruiz, a tiros. A ideia do casal era que uma enciclopédia carregada por Mario o protegesse da bala, o que obviamente não ocorreu. A cena foi filmada e a expectativa dos dois era que o vídeo viralizasse no YouTube. Também no ano passado, a Associação Americana de Centros de Controle de Veneno reportou um surto de casos de intoxicação causada pela ingestão de detergente. Isso ocorreu após viralizarem vídeos que desafiavam as pessoas a comerem o produto. O caso levou um dos fabricantes, a Procter and Gamble, a contratar a estrela de futebol americano Rob Gronkowski para uma campanha informativa nas redes sociais. Mais recentemente, um desafio inspirado no filme Birdbox, do Netflix, envolveu atividades como dirigir de olhos vendados. Pelo menos uma pessoa sofreu um acidente de carro como resultado disso.
Veja Mais

16/01 - 'Direito de consertar': por que cresce a pressão por eletrodomésticos mais duráveis e fáceis de reparar
Preocupados com meio ambiente, União Europeia e EUA estão introduzindo normas que forçam fabricantes a produzir bens que durem mais e sejam fáceis de reparar; entre itens visados estão geladeiras e TVs. É frustrante. Você compra um novo eletrodoméstico e, logo depois da garantia expirar, ele quebra. Você não consegue consertar e também não encontra ninguém que consiga fazer o serviço por um preço decente. Então, você é praticamente forçado a comprar outro novo, enquanto o objeto se junta à montanha global de lixo. Isso acaba dando combustível à mudança climática, devido ao consumo de recursos e à liberação de gases do efeito estufa durante o processo de produção do novo eletrodoméstico. Mas em breve isso deve mudar, pelo menos na União Europeia e em partes dos Estados Unidos. Em breve, seus cidadãos devem ganhar o "direito de consertar". Na União Europeia, ministros para meio ambiente estão introduzindo normas para forçar fabricantes a produzir bens que durem mais e que sejam mais fáceis de reparar. As propostas englobam artigos para iluminação, televisões e eletrodomésticos de grande porte (como geladeiras, fogões, lava-louças e máquina de lavar). Já nos Estados Unidos, pelo menos 18 Estados estão considerando adotar leis similares, em uma enorme reação contra produtos que não oferecem suprimento de peças separadas ou que não podem ser desmembrados porque suas partes são coladas - se uma pequena parte quebra, você não tem outra opção a não ser comprar o produto inteiro de novo. Os planos europeus e americanos são complexos e controversos. Os fabricantes dizem que as regras propostas sobre conserto de produtos são muito estritas e que inibirão inovação. Já no Brasil, não há propostas para facilitar o conserto de eletrodomésticos. De qualquer forma, o Código de Defesa do Consumidor já estabelece que produtos que saem de linha devem manter peças de reposição no mercado por um prazo razoável - porém, não diz qual seria a duração desse prazo razoável. Além disso, há um projeto de lei na Câmara para proibir a obsolescência programada - a fabricação de produtos que duram menos, para forçar que os consumidores tenham que comprar outros novos. "No Brasil, a questão do conserto tem mais a ver com a obsolescência programada. Temos um grande problema com isso. Muitos produtos, como eletrodomésticos e celulares, são feitos para durarem menos e estimular o consumo ", afirma Livia Coelho, advogada e representante da Proteste, organização de defesa do consumidor. "Há dois fatores que incidem (na obsolescência programada). Primeiro, a empresa não disponibiliza peças de reposição. Segundo, o consumidor tem o impulso de adquirir um produto novo. Isso acaba contribuindo com problemas ligados ao meio ambiente", continua Coelho. Como o 'direito de consertar' vai ajudar o meio ambiente? Na Europa, consumidores fizeram campanhas para reclamar que a União Europeia permitiu que empresas mantivessem controle sobre o processo de reparo dos eletrodomésticos, ao insistirem que alguns produtos só poderiam ser consertados por determinados profissionais - a assistência técnica autorizada. A Agência Europeia do Ambiente, por exemplo, afirmou: "Isso faz com que as pessoas que fazem consertos de forma independente tenham acesso restrito a peças e informações - e isso limita o escopo e a disponibilidade dos serviços de reparo". O órgão também quer que outros produtos, como smartphones e impressoras, sejam incluídas nas novas regras. Grupos ambientalistas dizem que as novas propostas de legislação da Europa e dos Estados Unidos representam um progresso na redução das emissões de carbono e no uso mais racional dos recursos naturais. Libby Peake, do grupo Green Alliance, afirmou à BBC News: "As novas regras são um progresso definitivo. Nós achamos que poderia ser melhor, mas é uma boa notícia que pelo menos os políticos estejam despertando para um tema que a sociedade recolhece como um problema há muito tempo. As novas regras vão beneficiar o meio ambiente e economizar recursos". O que motivou as iniciativas de mudança na Europa e nos Estados Unidos? As mudanças foram impulsionadas por algumas estatísticas: Um estudo mostrou que, entre 2004 e 2012, a proporção de grandes eletrodomésticos que deixaram de funcionar dentro de 5 anos aumentou de 3,5% para 8,3%. Uma análise de máquinas de lavar jogadas em um centro de reciclagem mostrou que mais de 10% tinham menos de cinco anos. Outro estudo estimou que, por causa do CO2 emitido no processo de produção, uma máquina de lavar que dura bastante tempo vai gerar, ao longo de duas décadas, 1,1 tonelada a menos de CO2 do que um modelo que dure pouco tempo. É melhor se desfazer de um eletrodoméstico velho e comprar um mais eficiente? Essa não é uma pergunta simples. Especialistas em recursos naturais explicam que, em geral, se o seu eletrodoméstico é velho e tem uma baixíssima eficiência energética, pode valer a pena substituí-lo por um novo modelo que gasta menos energia. Mas, na maioria dos casos, ficar com o modelo velho gera menos emissões do que produzir um novo. Há outro debate sobre quão prontamente os consumidores deveriam poder consertar os eletrodomésticos. O movimento Direito ao Conserto quer a produção de aparelhos que possam sejam totalmente desmembrados e reparados com peças de reposição e informações fornecidas pelos fabricantes. Alguns fabricantes temem que o reparo feito em casa, no estilo "faça você mesmo", possa danificar os equipamentos e potencialmente representar um risco físico. Uma das empresas, a Digital Europe, disse: "Nós entendemos o desejo político de integrar a eficiência energética e de recursos, mas estamos preocupados que alguns requisitos sejam inviáveis ou não geram nenhum valor adicional. As propostas de regulações limitam o acesso ao mercado, se desviam das melhores práticas reconhecidas internacionalmente e comprometem a propriedade intelectual".
Veja Mais

16/01 - União Europeia decide limitar importação de aço até julho de 2021
Medida visa minimizar preocupações com um excesso de oferta por produtos siderúrgicos que não estão mais sendo importados pelos EUA; Trump anunciou sobretaxas no ano passado. Países da União Europeia decidiram adotar um esquema para limitar importações de aço no bloco, depois da decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de sobretaxar aço e alumínio no país, informou a Comissão Europeia nesta quarta-feira (16). Todas as importações de aço ficarão sujeitas a um teto até julho de 2021 para minimizar preocupações de produtores da UE com um excesso de oferta nos mercados europeus por produtos siderúrgicos que não estão mais sendo importados pelos EUA. O bloco já havia instituído provisoriamente medidas de "salvaguarda" sobre as importações de 23 tipos de produtos siderúrgicos em julho, com prazo até 4 de fevereiro. As medidas agora serão ampliadas. Siderúrgica de aço na empresa Salzgitter AG, em Salzgitter, na Alemanha. Fabian Bimmer/Arquivo/Reuters
Veja Mais

16/01 - Concursos selecionam profissionais em Dracena, Lucélia, Presidente Prudente, Rosana e Tupi Paulista
Cargas horárias variam de acordo com o cargo. Salários vão de R$ 1.231,58 a R$ 2.719,07. Concursos públicos selecionam profissionais em cinco cidades da região de Presidente Prudente. Há oportunidades de trabalho em Dracena, Lucélia, Presidente Prudente, Rosana e Tupi Paulista. As cargas horárias são variadas e os salários vão de R$ 1.231,58 a R$ 2.719,07. Confira as oportunidades. Dracena A Faculdade de Ciências Agrárias e Tecnológicas da Universidade Estadual Paulista (Unesp) abriu inscrições para concursos públicos que vão selecionar professores substitutos para atuar no campus de Dracena. Ao todo são três vagas: Edital 20 - Ciência e Tecnologia de Alimentos/Microbiologia Zootécnica, Tecnologia de Produtos de Origem Animal, Tecnologia de Produtos Agropecuários (1); Edital 21 - Agronomia e Zootecnia/Morfologia Vegetal, Morfologia de Plantas Forrageiras, Fisiologia Vegetal, Fisiologia de Plantas Forrageiras (1); e Edital 22 - Zootecnia/Suinocultura, Alimentos e Bromatologia, Bioclimatologia Zootécnica (1). O período de trabalho é de 12h semanais com renumeração de R$ 1.303,16 acrescido de benefícios regulamentados internamente. Poderão inscrever-se graduados em curso superior que tenham, no mínimo, título de Mestre. As inscrições podem ser feitas no site da Unesp até o dia 18 de janeiro de 2019. O valor da taxa de inscrição a ser pago pelo candidato é de R$ 95,50. Presidente Prudente A Prefeitura de Presidente Prudente anunciou processo seletivo para contratar educador infantil. As vagas são temporárias. A remuneração será de R$ 1.231,58, mais vale-alimentação de R$ 743,51, para uma jornada de 32h semanais. As inscrições, com custo de R$ 30,00, estarão abertas até 22 de janeiro de 2019, e devem ser realizadas exclusivamente pela internet no site oficial da Prefeitura. Confira o edital. Rosana A Unesp de Rosana promove seis concursos públicos. A admissão dos profissionais será de forma temporária, e os contratos são válidos pelo prazo máximo de dez meses. As vagas disponíveis são distribuídas em diferentes áreas: Edital nº 38/2018: Agenciamento de Viagens e Turismo, Elaboração de Roteiros e Produtos Turísticos, Gestão Ambiental Aplicada, Tecnologia da Informação e Comunicação Aplicada ao Turismo, Transportes e Turismo, Gestão do Uso Público em Unidades de Conservação (1). Edital nº 39/2018: Conservação de Recursos Naturais; Psicologia Aplicada ao Turismo; Legislação Aplicada ao Turismo; Antropologia Cultural; Antropologia e Turismo; Ética e Turismo; Introdução a Filosofia; Modernidade e Sociedade (1). Veja aqui a retificação do edital. Edital nº 40/2018: Inglês I; Inglês II; Redação Cientifica; Espanhol I; Espanhol II; Comunicação e Expressão (1). Confira a retificação do edital. Edital nº 41/2018: Planejamento e Organização de Eventos; Teoria Geral do Turismo I; Teoria Geral do Turismo II; Turismo e Meio Ambiente (1). Veja a retificação. Edital nº 42/2018: Economia, Recursos Energéticos, Economia da Energia e Energia, Planejamento Urbano e Regional (1). Confira a retificação. Edital nº 43/2018: Introdução à Ciência da Computação I; Introdução à Ciência Da Computação II; Cálculo Numérico (1). Veja a retificação. Estes profissionais serão lotados nas Coordenadorias do Curso de Turismo e do Curso de Engenharia de Energia. As inscrições serão recebidas até o dia 23 de janeiro de 2019, no site. Tupi Paulista A Câmara Municipal de Tupi Paulista faz concurso para três vagas: procurador jurídico, auxiliar administrativo e ajudante de serviços gerais. Os salários variam de R$ 1.488,93 e R$ 2.365,32, em jornadas de 20h a 40h por semana. As inscrições serão feitas exclusivamente via internet até 20 de janeiro de 2019. As taxas serão de R$ 20 ou R$ 30. As provas objetivas (escritas) serão realizadas em 10 de março de 2019, em locais a serem divulgados por meio de edital próprio, com antecedência mínima de 3 dias. A validade do concurso público será de dois anos, contados da homologação final dos resultados, prorrogável uma vez por igual período nos termos do Art. 37 da Constituição Federal. Confira o edital.
Veja Mais

16/01 - Neoenergia e Copel têm autorização para iniciar testes da hidrelétrica Baixo Iguaçu
Usina teve a concessão licitada pelo governo federal em 2008, mas avanço do projeto atrasou. Usina hidrelétrica de Baixo Iguaçu, no Paraná. Divulgação A Geração Céu Azul, associação entre as elétricas Neoenergia e Copel, recebeu autorização para iniciar a operação em fase de testes da primeira turbina da hidrelétrica Baixo Iguaçu, no Paraná, segundo despacho da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) no Diário Oficial da União desta quarta-feira (16). A máquina liberada para operação tem 116,7 megawatts em capacidade, ou um terço da potência total da usina, que terá 250 megawatts quando concluída. O investimento estimado no empreendimento é de R$ 1,6 bilhão, segundo informações do site da hidrelétrica. A usina teve a concessão licitada pelo governo federal em 2008, mas o avanço do projeto foi atrasado por um demora na conclusão de seu licenciamento ambiental e decisões judiciais.
Veja Mais

16/01 - Anac autoriza reajuste de 5,39% para tarifas de embarque de aeroportos da Infraero
Reajuste pode ser aplicado 30 dias após a divulgação da medida pela Infraero. Com o reajuste, tarifa máxima para embarque doméstico passou para R$ 32,95. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) publicou no “Diário Oficial da União” desta quarta-feira (16) um reajuste de 5,39% para o teto das tarifas de embarque, conexão, pouso e permanência nos aeroportos administrados pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). Os novos valores podem ser aplicados depois de 30 dias que a Infraero fizer a divulgação oficial do reajuste. Com o reajuste, a tarifa máxima de embarque doméstico a ser paga pelos passageiros passará de R$ 31,27 para R$ 32,95 e a tarifa máxima de embarque internacional passará para R$ 58,35. Nas viagens internacionais, os passageiros ainda vão pagar, junto com a tarifa de embarque, até US$ 18 de adicional do Fundo Nacional de Aviação Civil (FNAC). As tarifas aeroportuárias são valores pagos aos operadores aeroportuários pelas companhias aéreas, pelo operador da aeronave ou pelo passageiro. A tarifa de embarque é a única paga pelo passageiro e tem a finalidade de remunerar a prestação dos serviços, instalações e facilidades disponibilizadas nos aeroportos. As tarifas aeroportuárias dos aeroportos que foram concedidos para a iniciativa privada têm reajustes em datas diferentes, dependendo do contrato de concessão.
Veja Mais

16/01 - PAT de Indaiatuba oferece 40 vagas de emprego; salários vão até R$ 4 mil
Interessados devem comparecer ao posto com RG, Carteira de Trabalho, PIS e CPF. carteira de trabalho emprego ctps oportunidade desemprego Fernando Madeira/Divulgação O Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) de Indaiatuba (SP) divulgou 40 novas vagas de emprego nesta quarta-feira (16) destinadas a moradores da região. Os salários variam de R$ 1.160,68 até R$ 4.074,15, sendo a maior remuneração para o cargo de gerente de farmácia. Em alguns casos a remuneração deverá ser combinada entre empregador e empregado. Todas as vagas exigem experiência de seis meses nas reespectivas funções. As oportunidades são para candidatos de todos os gêneros. Interessados devem comparecer ao PAT para análise de perfil e cadastro, com RG, CPF, Carteira de Trabalho e o número do PIS. Há cargos para diversos níveis de escolaridade, inclusive para quem não completou o Ensino Fundamental. O telefone do PAT é (19) 3825-6622 e a unidade fica na Rua Jacob Lyra, 344, Parque das Nações. Confira as vagas disponíveis: Açougueiro - 1 vaga Assistente de vendas - 1 vaga Auxiliar de limpeza( PCD) - 1 vaga Auxiliar de manutenção predial - 1 vaga Balconista de açougue - 1 vaga Caminhoneiro carreteiro - 1 vaga Chefe de cozinha - 1 vaga Chefe de serviço de limpeza (PCD) - 1 vaga Cortador a mão - 1 vaga Costureira - 2 vagas Empregada doméstica - 1 vaga Farmacêutico - 2 vagas Ferramenteiro - 1 vaga Garçon - 2 vagas Gerente de farmácia - 1 vaga Manobrista - 1 vaga Mecânico de auto em geral - 1 vaga Mecânico de manutenção de máquina industria - 1 vaga Mecânico de refrigeração - 1 vaga Mecânico eletricista de automóveis - 1 vaga Motorista de caminhão - 1 vaga Operador de centro de usinagem com comando numérico - 1 vaga Operador de instalação de ar - 1 vaga Operador de máquina de dobrar chapas - 1 vaga Operador de máquinas de construção civil e mineração - 1 vaga Passador de roupas - 1 vaga Pedreiro - 1 vaga Pintor de obras - 2 vagas Pintor industrial - 1 vaga Recepcionista de hotel - 1 vaga Recepcionista de hotel - 1 vaga Serrador de mármore - 1 vaga Soldador - 2 vagas Supervisor de manutenção industrial - 1 vaga Técnico em farmácia - 1 vaga Confira mais oportunidades da região no G1 Campinas
Veja Mais

16/01 - Com queda em entregas, Embraer reduz previsão de resultado em 2018
Fabricante de aeronaves estima uma margem de lucro maior em 2020. Logo da Embraer no aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Paulo Whitaker/Reuters A Embraer reduziu suas projeções de desempenho para 2018, pressionada por queda nas entregas de jatos executivos ante suas expectativas iniciais e estimou que sua margem de lucro antes de juros e impostos vai sair de próximo de zero neste ano para 2% a 5% em 2020, primeiro ano após a formação da aliança com a Boeing. A companhia reduziu a previsão de entregas de 105 a 125 jatos executivos em 2018 para 91 unidades e manteve a expectativa sobre aviões comerciais em 85 a 95 aeronaves. Para 2020, a Embraer estimou ainda uma receita líquida entre US$ 2,5 bilhões e US$ 2,8 bilhões e um fluxo de caixa livre próximo de zero. A empresa afirmou que a previsão para 2020 considera a totalidade de suas divisões de jatos executivos e de produtos de defesa, que não foram incluídos na parceria com a Boeing, mas excluem os resultados esperados relativos à participação de 20% da empresa na joint-venture em aviação comercial a ser formada este ano com o grupo norte-americano. Acordo com a Boeing A parceria entre Embraer e Boeing prevê a criação de uma nova empresa avaliada em US$ 5,26 bilhões. A Boeing será controladora da empresa, com 80% de participação, ao fazer um pagamento de US$ 4,2 bilhões (o equivalente a R$ 16,4 bilhões), cerca de 10% maior que o inicialmente previsto. Os 20% restantes serão da fabricante brasileira, que poderá vender sua parte para a norte-americana a qualquer momento, por meio de uma opção de venda. Parceria entre Boeing e Embraer prevê a criação de joint ventures de aviação comercial e defesa. Claudia Ferreira / G1
Veja Mais

16/01 - Bovespa fecha em alta nesta quarta-feira; Taurus volta a despencar
O Ibovespa subiu 0,36%, aos 94.393 pontos; papel da Taurus caiu 26%. Bovespa. Nelson Almeira/AFP O Ibovespa, principal indicador da bolsa brasileira, a B3, fechou em alta nesta quarta-feira (16), em dia de oscilação, com os investidores ainda monitorando o cenário externo e esperando os próximos passos do governo em relação à aprovação de reformas econômicas, como a da Previdência. O dia foir marcado ainda por novo tombo da ação da Forjas Taurus, que caiu 26%. O índice subiu 0,36%, aos 94.393 pontos. Veja mais cotações. No primeiro mês do ano, acumula alta de 7,4%. No exterior, investidores repercutem a decisão do dia anterior do Parlamento britânico de rejeitar o acordo do Brexit negociado pela primeira-ministra, Theresa May. Nesta quarta, May venceu de forma apertada a votação de sua moção de desconfiança e continuará no cargo de primeira-ministra britânica. Para a equipe da corretora H.Commcor, conforme nota a clientes, o cenário externo brecava um fôlego mais forte no mercado brasileiro, que, contudo, também não sucumbia a uma queda significativa em razão da expectativa sobre a proposta para a reforma da Previdência do governo. As expectativas em relação à recuperação econômica fez com que, em 2019, o índice tenha batido sete vezes nova máxima de fechamento."Não acho que o movimento tenha se encerrado, mas novos ciclos de alta demandam a evolução e execução da agenda do governo e/ou evidências mais fortes da recuperação econômica", disse à Reuters o gestor Igor Lima, sócio na Galt Capital. Destaques Variação da ação da Forjas Taurus em 1 ano Arte/G1 As ações da fabricante de armas Forjas Taurus, que caíram mais de 20% na terça-feira, seguiram em trajetória negativa, caindo mais de 25% nesta quarta. Em dois dias, o papel caiu 41%. Em 2019, a queda acumulada é de 37,8%, segundo dados do Valor Pro. Entenda a queda das ações da Taurus. As ações da Embraer recuaram 1,5%. A empresa reduziu suas projeções de desempenho para 2018, pressionada por queda nas entregas de jatos executivos e estimou que sua margem de lucro vai sair de próximo de zero neste ano para 2% a 5% em 2020, primeiro ano após a formação da aliança com a Boeing.
Veja Mais

16/01 - Bolsonaro sanciona Orçamento de 2019 com dois vetos parciais
Um dos itens vetados reestruturava carreiras do Incra, e o outro criava o Fundo Especial do Conselho Nacional de Justiça. Lei orçamentária foi publicada nesta quarta no 'Diário Oficial'. O presidente Jair Bolsonaro sancionou, com dois vetos parciais, o Orçamento de 2019. A lei orçamentária, aprovada pelo Congresso em dezembro, foi publicada nesta quarta-feira (16) no “Diário Oficial da União”. Um dos vetos do presidente refere-se à reestruturação das carreiras do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Na justificativa do veto, o presidente afirmou que a alteração de estrutura de carreiras e aumento da remuneração infringe a Constituição Federal. “Ademais, a inclusão do item durante a tramitação do projeto desconsidera a discricionariedade da administração para priorizar e harmonizar suas necessidades conforme os critérios de conveniência e oportunidade”, escreveu. O outro item vetado criava o Fundo Especial no Conselho Nacional de Justiça, para investimentos em inovação e modernização tecnológicas dos órgãos do Poder Judiciário. Ao justificar o veto, o governo afirmou que a criação do fundo feria o novo regime fiscal. “Poder Executivo é impedido de viabilizar a execução de despesa de competência de outro Poder, em razão de suas despesas estarem limitadas ao valor já alocado nas programações de cada um de seus órgãos, nos termos do novo regime fiscal.” Veja os principais pontos do Orçamento 2019: Previsão de receitas: R$ 3,381 trilhões. Previsão de despesas: R$ 3,381 trilhões. Na área das despesas, os gastos com a Previdência lideram – R$ 637,9 bilhões. Gastos com pessoal somam R$ 351,4 bilhões. O Mais Médicos terá R$ 3,7 bilhões. Já o programa Minha Casa, Minha Vida terá prevista dotação de R$ 4,6 bilhões. Investimentos governamentais: R$ 38,9 bilhões. Benefícios fiscais (renúncias de tributos e subsídios, por exemplo): R$ 376,2 bilhões. Fundo partidário: R$ 927,7 milhões Previsão de inflação: 4,25% Previsão do PIB: 2,5% Infografia: Karina Almeida/Editoria de Arte G1
Veja Mais

16/01 - O que é o modo noturno e quais são as suas vantagens?
Modo altera o esquema de cores das telas dos programas, apresentando cores escuras ou brilho reduzido. Os principais programas e aplicativos estão recebendo a opção de modo noturno ou "dark mode". Na versão mais recente do macOS, foi uma das melhorias que mais agradou aos usuários. O Google recentemente confirmou que a próxima versão do Android receberá também o modo noturno. Essa opção está entre os principais aprimoramentos desejados para o WhatsApp. Mas afinal, o que é o modo noturno? O dark mode é uma alteração temporária no esquema de cores das telas dos programas. Quando ele é ativado, a aparência da interface gráfica é apresentada com cores escuras ou com o brilho reduzido. Esse recurso torna a experiência de uso mais agradável, principalmente quando o dispositivo estiver sendo usado em ambientes com pouca iluminação. Extensões de navegadores permitem ativar o modo noturno em sites como o G1. Reprodução/G1 E, com a redução do brilho da tela, esse modelo de funcionamento aumenta a autonomia da bateria, devido à economia de energia. Essa configuração é uma excelente alternativa para quem passa horas em frente ao computador, celular ou tablet. A tendência é que, em breve, o modo noturno seja uma opção padrão presente em todos os sistemas operacionais, sendo facilmente habilitada conforme a necessidade do usuário. Opção de modo noturno no sistema operacional MacOS fez sucesso entre os usuários. Divulgação/Apple O modo noturno no WhatsApp é uma das funcionalidades mais esperadas para 2019. Uma conta no Twitter que divulga o que está em fase de testes pela equipe de desenvolvimento do aplicativo mostrou o que pode Não há previsão de data para que os usuários inscritos no programa de testes do WhatsApp possam baixar essa atualização. Página que divulga novas funções do WhatsApp mostra testes com modo noturno no aplicativo. WABetaInfo É possível instalar complementos para proporcionar um efeito equivalente de redução de luminosidade enquanto essa opção não é nativa. Confira abaixo a lista dos plug-ins de modo noturno mais usados: Complemento para o Google Chrome; Complemento para o Firefox; Complemento para o Microsoft Edge; Aplicativo para Android Selo Ronaldo Prass Ilustração: G1
Veja Mais

16/01 - Coletivo Jovem abre 240 vagas de cursos gratuitos de capacitação em Campinas
Projeto é destinado a jovens de 16 a 25 anos que terminaram ou estão cursando o Ensino Médio. Estão abertas 240 vagas para cursos de capacitação gratuitos para jovens de 16 a 25 anos O programa Coletivo Jovem abriu 240 vagas gratuitas para cursos de capacitação em Campinas (SP). As inscriçõespodem ser feitas até o dia 4 de fevereiro. Os cursos abrangem as áreas de Comunicação e Tecnologia, Marketing e Vendas e Produção de Eventos. Jovens que tenham entre 16 e 25 anos que terminaram ou estão cursando o Ensino Médio podem se inscrever. Coletivo Jovem abre vagas de cursos de capacitação em Campinas Reprodução/EPTV A analista de projetos, Renata Zambom, uma das coordenadoras do programa, afirma que o objetivo do projeto é auxiliar os jovens para a vida profissional. "Este jovem vai ingressar ao mercado de trabalho mais preparado. Ele vai construir um currículo, elaborar um plano de vida e fazer simulações de entrevistas", explica. Inscrições para cursos de capacitação podem ser feitas até dia 4 de fevereiro. Reprodução/EPTV As 240 vagas serão divididas em dois locais, assim como as inscrições que também são gratuitas. Para se inscrever, os jovens devem levar uma foto 3x4, cópia do RG e CPF e comprovante de escolaridade e de residência. Menores de idade devem ser acompanhados pelos responsáveis. As aulas ocorrerão até o dia 4 de abril, duas vezes por semana, com duas horas de duração por aula. Ao final do curso, os egressos podem ser encaminhados para processos seletivos de parceiros do projeto. Serviço Curso de desenvolvimento profissional e capacitação Inscrições: ONG Casa dos Anjos: Rua Ondina Moreno de Lima, 546, Jardim Liliza. Telefone: (19) 3221-0433 e (19) 9 9363-1532 Ong Instituto Semear: Rua dos Cambarás, 600, Parque Via Norte. Telefone: (19) 3245-0199 e (19) 9 9999-1949 Veja mais notícias da região no G1 Campinas.
Veja Mais

16/01 - Abertas inscrições no concurso da prefeitura de Pedra Branca, PB
Concurso de Pedra Branca oferece 47 vagas de emprego e salários de até R$ 7,5 mil. Concurso de Pedra Branca oferece 47 vagas de emprego divulgação Estão abertas a partir desta quarta-feira (16) as inscrições no concurso da prefeitura de Pedra Branca, no Sertão paraibano, com 47 vagas de emprego em cargos de todos os níveis de escolaridade. As inscrições devem ser feitas no site da organizadora. Veja edital do concurso da prefeitura de Pedra Branca. Conforme o edital, são oferecidas duas vagas para pessoas com deficiência e os cargos do concurso têm salários que variam de R$ 998 a R$ 7.500. O cargo com mais vagas é o de auxiliar de serviços gerais, com 12 oportunidades, sendo uma para pessoa com deficiência. O candidato precisa ter ensino fundamental incompleto. Já o cargo com maior salário é o de médico, que oferece duas vagas. Os candidatos precisam ter ensino superior completo em medicina e registro no conselho regional da classe. Além destas vagas, também há oportunidades para odontólogo, biomédico, técnico de enfermagem, monitor de creche, agente administrativo, atendente de consultório dentista, motorista, fisioterapeuta, médico veterinário, psicólogo, fonoaudiólogo, professor (português, matemática, ciências, geografia, educação física, artes, letras/libras, ensino fundamental I, educação infantil e psicopedagogia). As inscrições ficam abertas até o dia 11 de fevereiro e custam R$ 60 para cargos de nível fundamental, R$ 90 para cargos de nível médio e R$ 150 para cargos de nível superior. As provas do concurso estão previstas para acontecer no dia 24 de março. Concurso da Prefeitura de Pedra Branca Vagas: 47 Níveis: fundamental, médio e técnico Salários: R$ 998 a R$ 7.500 Prazo de inscrição: até 11 de fevereiro Local de inscrição: site da organizadora, Consulpam Taxas de inscrição: R$ 60 (fundamental), R$ 90 (médio) e R$ 150 (superior) Provas: 24 de março Edital do concurso da Prefeitura de Pedra Branca
Veja Mais

16/01 - Dólar fecha em alta nesta quarta-feira
Moeda norte-americana subiu 0,19%, a R$ 3,7335.Investidores monitoraram o cenário externo e as medidas econômicas do novo governo. Notas de dólar REUTERS/Dado Ruvic O dólar fechou em alta nesta quarta-feira (16), com os investidores ainda monitorando o cenário externo e esperando os próximos passos do governo em relação à aprovação de reformas econômicas, como a da Previdência. A moeda norte-americana subiu 0,19% vendida a R$ 3,7335. Veja mais cotações. Cenário externo Conforme o esperado, o Parlamento britânico rejeitou na noite de terça-feira a proposta de Brexit negociada por May, lançando incertezas sobre como se dará a saída do Reino Unido da União Europeia. "O mercado digere a derrota da Theresa May, no Reino Unido. Sempre há uma preocupação com relação ao Brexit, mas em geral o cenário externo está relativamente calmo", afirmou à Reuters o economista-sênior do Banco Haitong, Flávio Serrano. Após a rejeição do acordo, o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, disse que a maior probabilidade é que aconteça um Brexit desordenado, enquanto Donald Tusk, presidente do Conselho Europeu, sugeriu que o Reino Unido considere reverter totalmente o Brexit. O Parlamento se reúne novamente nesta quarta-feira para votar um voto de desconfiança, convocado pelo líder do Partido Trabalhista, de oposição, contra May. Educação Financeira: O que faz o valor do dólar mudar em relação ao real? Cenário interno No Brasil, investidores continuam no aguardo de anúncios mais concretos sobre a reforma da Previdência, após o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmar na terça-feira que a proposta será apresentada ao presidente Jair Bolsonaro até domingo. Segundo Onyx, Bolsonaro deve usar a viagem ao Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, para discutir o tema, e que uma decisão deve ser tomada na volta ao Brasil. No dia anterior, o dólar fechou em alta de 0,72%, a R$ 3,7264. O Banco Central vendeu nesta sessão 13,4 mil contratos de swap cambial tradicional, equivalente à venda futura de dólares. Desta forma, rolou até esta quarta-feira US$ 7,37 bilhões do total de US$ 13,398 bilhões que vencem em fevereiro. Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, terá feito a rolagem integral.
Veja Mais

16/01 - Setor de serviços fica estável em novembro, diz IBGE
Foi o segundo mês seguido de variação nula no volume de serviços prestados; dados de outubro foram revisados. Setor de serviços em segunda variação nula seguida, diz IBGE O volume de serviços prestados no Brasil não teve variação em novembro, ficando em 0,0% na comparação com outubro, segundo pesquisa divulgada nesta quarta-feira (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Vendas do comércio sobem 2,9% em novembro O IBGE revisou os dados do setor de serviços de outubro. Ao invés de uma alta de 0,1% divulgada anteriormente, o resultado real também foi de 0,0%. Assim, são dois meses seguidos de variação nula no volume de serviços prestados no Brasil. Dos cinco serviços pesquisados, apenas o grupo "outros serviços" encerrou novembro com variação negativa frente a outubro (-0,2). Veja o resultado de cada uma das atividades do setor: Outros serviços: -0,2% Serviços prestados às famílias: 0,4% Serviços de tecnologia da informação e comunicação (TIC): 0,8% Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio: 0,3% Serviços profissionais, administrativos e complementares: 0,1% Segundo o gerente da Pesquisa Mensal de Serviços, Rodrigo Lobo, mesmo com predominância de taxas positivas entre as atividades, o indicador geral ficou nulo devido à metodologia de ajuste sazonal dos dados. O sistema estatístico da pesquisa ajusta as séries de cada segmento separadamente do ajuste feito na série global dos serviços. Segundo o IBGE, o principal impacto veio dos "serviços de informação e comunicação", que acumulam alta de 1,4% nos últimos 3 meses. Com o resultado de novembro, o volume de serviços ficou 11,7% abaixo dos pontos mais altos da série histórica da pesquisa, alcançado nos meses de janeiro e novembro de 2014. Fim do efeito 'greve' “Esse cenário de maior estabilidade vem sendo observado desde setembro, quando houve variação negativa de 0,3%. Estes três últimos resultados deram fim à grande volatilidade observada a partir da greve dos caminhoneiros”, destacou Lobo. Segundo o pesquisador, o resultado de novembro ficou 0,2% acima do nível de abril, pré-greve dos caminhoneiros, e 0,3% abaixo de dezembro de 2017. “Apesar de todas as oscilações que observamos de maio a agosto, o setor de serviços se encontra praticamente no mesmo patamar que em dezembro de 2017”, acrescentou. Acumulado em 12 meses Houve estabilidade também no acumulado nos últimos 12 meses, encerrando uma sequência de 41 meses de taxas negativas nesse indicador. A última vez que o acumulado em 12 meses do setor de serviços apresentou variação positiva foi em maio de 2015, quando registrou alta de 0,1%. Já na comparação com novembro de 2017, o setor de serviços teve crescimento de 0,9% no mesmo mês de 2018. Resultado esperado para 2018 Questionado sobre a possibilidade de - com o resultado de dezembro que será divulgado em fevereiro - o setor de serviços fechar o ano com resultado positivo, Lobo disse que seria necessário o mês de dezembro ter tido avanço de pelo menos 1,5%. O gerente da pesquisa destacou, ainda, que 2014 foi o último ano que o setor de serviços fechou no campo positivo. Com as três quedas anuais seguidas, de 2015 a 2017, o setor acumulou perda de 11%. Segundo o pesquisador, a retomada do setor de serviços depende da disposição dos empresários em elevarem seus investimentos. "Embora pesquisa da FGV tenha mostrado aumento na expectativa de investimentos, isso ainda não se concretizou no setor de serviços".
Veja Mais

16/01 - John Forman, indicado para conselho de administração da Petrobras, decide não aceitar convite
Segundo empresa, ele alegou razões de ordem pessoal 'visando evitar qualquer tipo de constrangimento ou problema para a companhia'. A Petrobras informou nesta quarta-feira (16) que recebeu carta de renúncia do geólogo John Milne Albuquerque Forman à sua indicação para membro do conselho de administração da companhia. A indicação havia sido anunciada na segunda-feira. Além de Forman, também foram indicados na ocasião o economista João Cox e o almirante de esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira, apontado para presidir o colegiado. "Forman agradeceu o convite para participar do conselho de administração e informou que as razões para tal decisão são de ordem pessoal, visando evitar qualquer tipo de constrangimento ou problema para a companhia, considerando as notícias veiculadas na imprensa, desde a sua indicação, sobre condenação em processo na CVM, que se encontra atualmente em discussão no judiciário", destacou a Petrobras em nota. Segundo a Petrobras, a estatal ainda não recebeu nova indicação do governo para a vaga. Segundo reportagem do "Valor Econômico", Forman foi condenado em 2016 pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) por uso de informação privilegiada. O caso, ocorrido em 2013, envolveu a venda de ações da HRT Participações em Petróleo (hoje PetroRio), empresa na qual Forman foi conselheiro no período de novembro de 2009 a março de 2012.
Veja Mais

16/01 - Adeus aos currículos: empresas usam robôs e games em seleção de vagas de emprego
Inteligência artificial poupa tempo de processos seletivos e promete resultados mais assertivos. Profissionais de RH, no entanto, não são substituídos. Entregar currículos na porta das empresas? Enviá-los por e-mail e ficar esperando uma resposta? Participar de um processo seletivo que se resuma a uma entrevista? Essas práticas estão sendo substituídas pelo uso da inteligência artificial que incluem até jogos, desafios de lógica e robôs na seleção dos candidatos. Aplicativos e sites tentam modernizar as técnicas de recrutamento para economizar tempo e atrair candidatos mais jovens ou adaptáveis. O contato pessoal com a empresa vem só nas fases finais (leia mais abaixo). Gestão de pessoas: veja perfil dos cursos, o que faz e remuneração Essa tendência de usar a tecnologia como método de seleção representa também uma mudança de perspectiva das empresas: elas não querem só saber a universidade onde alguém se formou. “O diploma mostra qual graduação você fez. Mas, quando algum game é proposto, por exemplo, consigo ter acesso a muitas outras informações – um jogo propõe desafios e o candidato mostra quais estratégias usa diante de dificuldades”, explica Márcia Ballariny, professora de planning for branding da ESPM-Rio. Segundo a docente, isso ajuda a empresa a trazer alguém que tenha a ver com a vaga e que não vá pedir demissão ou ser demitido dali a 2 meses. É importante ter alguém rápido? O game ajuda a selecionar a pessoa com o perfil certo. Para atrair talentos, setor de RH precisa pensar na qualidade de vida dos funcionários “Não é justo eliminar um candidato que tenha vindo do interior e cursado uma graduação mediana. A perseverança dele pode acrescentar muito à equipe. Há 10 anos, era diferente; hoje, queremos diversidade”, completa Márcia. Os robôs ou “bots” Além de games, há o uso dos chamados “bots”, espécies de robôs que conversam com os candidatos em chats online. O publicitário Kleber Piedade, em junho de 2017, fundou a Matchbox exatamente com esse foco – elaborar processos seletivos com base em bots. “Existe uma procura crescente de empresas por processos de seleção automatizados. A gente elabora uma experiência de inscrição e recrutamento muito mais ágil e fluida, sem aqueles formulários longos que perguntam até os nomes dos pais do candidato”, conta Kleber. “É a tecnologia sendo usada para que as empresas ganhem tempo na seleção.” Design de games: conheça perfil dos cursos, o que faz e remuneração O publicitário Kleber Piedade criou a Matchbox, plataforma que elabora processos seletivos com base em "bots". Divulgação/Matchbox Quando a Matchbox é procurada por uma empresa, ela cobra de R$ 30 mil a R$ 150 mil para formular os testes personalizados – o preço varia de acordo com o número de vagas a serem preenchidas. Ela cria personagens que conversarão com os candidatos e enviarão perguntas sobre dados pessoais ou conhecimentos de inglês, por exemplo. “Dá para colocar vídeos, perguntas, imagens, áudios. O principal uso da ferramenta é para programas de trainee e de estágio, que recebem muitas inscrições”, explica o CEO da empresa. Agilidade e apelo jovem Esses novos processos seletivos facilitam, inclusive, a participação de candidatos que moram longe dos grandes centros urbanos. Mesmo nas entrevistas, é possível usar programas de interação em vídeo, como o Skype. As empresas também têm a ganhar: além de avaliarem mais habilidades dos candidatos, conseguem ganhar tempo – a inteligência artificial filtra os currículos que têm mais a ver com o perfil da vaga. Deixa de ser necessário avaliar páginas e mais páginas de inscrições. Márcia, da ESPM, explica que, para atrair recém-formados e jovens em geral, não basta ser digital. “Precisa ter boa interface para o celular. Se quero atingir essa faixa etária específica, preciso saber onde ela está. E não é nos desktops”, diz. Há um ano, Renato Dias fundou o Taqe, um aplicativo de celular que funciona como um jogo para capacitar jovens e recomendá-los ao mercado de trabalho. Eles se inscrevem, assistem a vídeos de conteúdo e fazem testes de personalidade, de conhecimento e de lógica. Com os resultados, o sistema detecta um perfil do candidato e elabora uma ficha com suas características. Depois, faz um cruzamento de dados com as vagas disponíveis, cadastradas por uma das 15 empresas parceiras – até dar “match”. Há oportunidades no Santander, na Nestlé e na Danone, por exemplo. O empregador recebe uma lista com os jovens que mais se encaixam naquela proposta – e os candidatos são informados sobre quais vagas têm o perfil deles. “Nosso foco é para jovens de 16 a 24 anos, das classes C, D e E. É um olhar de impacto social, porque percebemos que essas pessoas são muito afetadas pelo desemprego e não têm clareza sobre suas potencialidades, talentos e caminhos possíveis”, diz Renato. “Elas estão acostumadas a nem receberem um retorno dos processos seletivos. Na Taqe, a gente ajuda que expressem quem são, sem precisar de um currículo.” Testes de personalidade fazem parte do app Taqe. Reprodução/Taqe E a profissão de RH nisso? Apesar de toda a automatização dos processos seletivos, os profissionais de RH não estão sendo substituídos pela inteligência artificial. As entrevistas ainda ocorrem pessoalmente, mas em fases mais avançadas, quando já foi feita uma triagem de currículos e selecionados os mais interessantes para a vaga. “Por mais que ocorram revoluções, a gente ainda precisa de seres humanos no processo”, diz Maria Amália, professora do curso de gestão de pessoas e RH na Anhembi Morumbi (SP). Kleber, CEO da Matchbox, reforça a necessidade de o profissional de RH se manter atualizado e acompanhar as novidades da área. “O setor passa a trabalhar com outras áreas, como de engenharia, de administração e de tecnologia. Precisa ter essa visão complementar”, afirma. “E é bom lembrar que nada vai substituir os recrutadores. Os meios tecnológicos vão poupar tempo das equipes de recursos humanos e entregar resultados mais assertivos.”
Veja Mais

16/01 - Governo reajusta em 3,43% aposentadoria acima do mínimo; teto vai a R$ 5.839
Reajuste tem como base a variação do INPC no ano anterior, anunciado na sexta-feira (11) pelo IBGE, e também tem reflexo na tabela de contribuição trabalhadores domésticos. Uma portaria do Ministério da Economia publicada na edição desta quarta-feira (16) do "Diário Oficial da União" fixa em 3,43% o reajuste de aposentados e pensionistas que ganham acima de um salário mínimo. Com a oficialização do reajuste, o teto para quem se aposentou pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) passa de R$ 5.645,80 para R$ 5.839,45. Pela legislação federal, o índice de reajuste do benefício de aposentados e pensionistas que recebem valor superior ao do salário mínimo é definido pela variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano anterior. Em 2018, o INPC ficou em 3,43%, conforme divulgou na sexta-feira (11) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em 2017, o índice havia ficado em 2,07%. Neste ano, o reajuste concedido foi menor que o do salário mínimo, que em 2019 aumentou 4,61%, passando de R$ 954 para R$ 998 no dia 1º de janeiro. Em 2018 e 2017, o reajuste para os aposentados e pensionistas que recebem acima do salário mínimo foi superior, interrompendo uma sequência de 19 anos de percentuais inferiores. Salário mínimo volta a ter ganho real após 2 anos Pela lei, aposentadorias, auxílio-doença, auxílio-reclusão e pensão por morte pagas pelo INSS não podem ser inferiores a 1 salário mínimo. Reajuste de aposentadorias e do salário mínimo Infografia G1 Benefício concedido em 2018 Veja o percentual de reajuste, de acordo com as respectivas datas de início do benefício: Reajuste conforme data de início do benefício Contribuição ao INSS de domésticos O reajuste também se reflete na cobrança da contribuição dos trabalhadores para o INSS. Para empregados domésticos e trabalhadores avulsos, a alíquota passa a ser: de 8% para quem ganha até R$ 1.751,81 de 9% para quem ganha entre R$ 1.751,81 e R$ 2.919,72 de 11% para quem ganha entre R$ 2.919,72 e R$ 5.839,45 Essas alíquotas são relativas aos salários pagos em janeiro e, portanto, deverão ser recolhidas apenas em fevereiro. Já a cota do salário-família passa a ser de R$ 46,54 para aqueles segurados cuja remuneração mensal não supere R$ 907,77; e de R$ 32,80 para os que possuem remuneração mensal acima de R$ 907,77 e igual ou inferior a R$ 1.364,43.
Veja Mais